quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Manifesto estudantil antiburocrático

Véspera de eleições do DCE, andei vendo, ouvindo algumas coisas nos corredores..

Redigi essa proposta de manifesto sem grandes pretensões, apenas como provocação/reflexão. Pois é um fenômeno que tenho visto durante toda minha vida acadêmica. Sem a dedicação e o cuidado dos teóricos, isso é mais um desabafo escrito rapidamente de quem está de saco cheio de certas coisas.

Alguém concorda / discorda / altera / acrescenta ?


"Burocrata com um cargo na mão é bicho feroz, feroz.
Sem ele anda rebolando e até muda de voz"

Como reconhecer um burocrata estudantil?

Vislumbram, fantasiam, seguir carreira política
Se esforçam sempre para parecer legais
Se esforçam sempre para parecer bonitos
Querem ser amigos íntimos de todo mundo
Especialmente íntimos de quem possuir algum cargo ou influência burocrática
Entendem muito bem como funciona os meandros internos da burocracia nacional, estadual, municipal, colegial e universitária
Tiram proveito disso para ganhar mais amizades
Acham que receberão votos naturalmente em virtude dessas "amizades", "beleza" e "simpatia"
Podem sumir
Mas sempre aparecem nos períodos eleitorais
E podem aparecer caso os estudantes se mobilizem sem eles
Tem uma forma de pensar particular viciada pela hierarquia
Abandonam e tentam esvasiam qualquer movimento que não possam liderar
Abandonam e tentam esvasiar qualquer movimento que não possam fazer de conta que lideram
Gostam de eleições, embora nem sempre respeitem suas regras
Adoram boca de urna e pequenas trapaças eleitorais
Adoram malandragens, jogadinhas e manipulações
Adoram protocolar documentações
Ainda que esses documentos não sirvam para nada
Especialmente se puderem assinar em baixo
Gostam de andar em grupo
E o primeiro passo, ou o mais importante, em grupo de burocratas é a definição dos cargos
Até mesmo se os cargos forem completamente inúteis: como presidente e orador, por exemplo
Gostam de eleger e apontar líderes
Gostam de falar em público
Mas só porque consideram isso como autopromoção
Gostam de investir em material gráfico
Gostam de ter tudo padronizado
Adoram conchavos
A conversa entre dois burocratas, ainda que sobre temas gerais, pode parecer extremamente íntima
Eles podem discutir com você durante meses desde que, ao final, a discussão não chegue a lugar algum
Adoram colocar nomes de músicas em seus movimentos
Adoram palavras vazias: "novo", "renovação", "grupo", "coletivo", "avançar", "fazer pressão" para ocultar suas verdadeiras intenções e organizações
Adoram conservar a segurança das velhas estruturas estabelecidas
Acham que são melhores e superiores em comparação ao resto dos estudantes
Mas nunca admitem isso
Ignoram o quão prejuducial ao coletivo é canalização burocrática e institucional das lutas populares
Seus interesses particulares vem sempre antes do interesse coletivo
Jamais se convencem que seus aliados estão errados
Jamais se convencem que estão errados
Suas propostas à comunidade geral sempre fogem à polêmica
Suas propostas tem mais relação com o programa geral da organização ou do governo que representam do que com as demandas reais dos estudantes
A justificativa é que assim poderão aglutinar mais, representar a todos, ampliar filiações
O resultado é que acabam representando ninguém

Basta!

O movimento estudantil não precisa de burocratas!
Movimento estudantil se faz nas assembléias!
Se faz por estudantes, não por políticos profissionais!
Se faz nas ruas, na ação direta!

Não dê aos burocratas aquilo que eles querem: cargos!

Se é pra lutar:

Façamos atos, greves, ocupemos a reitoria!

Chega de blá blá blá..

-----

Recomendo também:

Documentário: Que Porra é essa?
Texto esquisito, digno da Playboy, mas vale a pena por lembrar a porcaria que é a União nacional dos estudantes - UNE - de hoje: A UNE deu PT

Nenhum comentário: