quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Homofobia religiosa na UEL

Nos últimos meses tenho visto um aumento vertiginoso na homofobia em Londrina. Indivíduos e coletivos levantam suas bandeiras, ora de orgulho hetero, ora aludindo a uma possível deficiência física ou psicológica, ora defendendo "valores familiares". Em todos os casos, a intolerância atinge o seu nível mais cruel e tenta depreciar e impedir as pessoas de amar e buscar realização no amor.

Vejam esse texto homofóbico presente no "Boletim Universitário" de Setembro de 2011. Pelo que me disseram isso está sendo distribuído na UEL ( Universidade Estadual de Londrina ) pela pastoral universitária. Vejam e acreditem se quiser ( cliquem na imagem para ampliar ):

E poxa! Se as pessoas que escreveram isso não amam, que permitam as outras o amor e a felicidade, pelo ou menos isso.

-------------
Editado:

2ª Reunião ampliada para debatermos homofobia na uel
Data: Nesta terça-feira dia 20/09, as 17hrs
Local: SALA 103-CCH-UEL

13 comentários:

Anônimo disse...

simplesmente não da pra acreditar nisso, passeata não pode, folheto homofóbico dentro de uma faculdade (que deveria ser laica) isso pode.

Anônimo disse...

encaminhei como denúncia para a comissão de direitos humanos e para a comissão de constituição e justiça da câmara dos deputados. o problema é que a tendência da nossa jurisprudência é enquadrar o que seria um crime como direito de opinião, mas é assim mesmo, devagar, de denúncia em denúncia, a gente faz esse país evoluir. parabéns pelo post.

Anônimo disse...

opa,opa
peraí,gente


alguem dai de cima denunciou pros direitos humanos e para a camara dos deputados?
Denunciou que a opinião não pode ser expressa, nem publicada, quiçá divulgada?

Peraí, meu rapaz.
Direitos iguais,lembra?
Eu tenho direito de acreditar no que quiser.
Eu acredito que seja pecado sim, mas tenho amigos homossexuais, amo eles um monte, e respeito isso. Assim como ele tambem respeita o que eu acredito.
E vicvemos muito bem assim.

Podemos dizer o que pensamos? Eu posso? ou antes vou ter que perguntar quem se ofende se eu der a minha opinião?

toda ideia, opinião que não pregue a violencia, pode sim ser propagada.

Ou não, direitos humanos?

Anônimo disse...

Pode expressar sim amigo anônimo, mas aguente e responda pelo que está dizendo.

Ferzinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Morra disse...

a questão não é no que você acredita ou não, mas o panfleto que é o que esta em discussão, sugere que homossexuais são doentes inferiores e que não podem amar uma pessoa do mesmo sexo, que precisam se tornar assexuados, fica claro então que a opinião deles é de que o homossexual nao deve e não pode manifestar o seu afeto porque isso vai contra os conceitos de certo ( conceitos bem distorcidos).
Dizer que o homossexual deve se 'segurar' e não pode se relacionar não tem nada a ver com direitos humanos, se for assim os neonazistas tem o direito de pixar por ai que negro tem que morrer, afinal eles tem direito de se expressar...até que ponto os direito de ser contra a homossexuALIDADE dá o direito de chamar os homossexuais de doentes que precisam de ajuda?????

.. disse...

Sou católica, heterossexual e sinceramente quando li isso fiquei com vergonha alheia.
Sim, vergonha alheia daqueles compartilham do mesmo credo que eu.
Ora, o ensinamento de Deus é claro: "Amai-vos uns aos outros." Amar significa respeitar. E liberdade e respeito caminham juntos.
Jesus Cristo convivia com cobradores de impostos, marginais e prostitutas. E sua maior lição foi a tolerância. E NÃO JULGAR AOS OUTROS.
Um texto escrito de maneira irresponsável como este fere qualquer premissa de amor ao próximo.

.. disse...

Aliás...

Ouvimos padres e pessoas mais ativas da igreja católica reclamando que os fiéis não participam da vida em comunidade.

Mas, convenhamos... com um texto desses é mais fácil afugentar do que atrair os católicos não praticantes.Infelizmente, a sensação que ficou é que essas pessoas não serão acolhidas. Ou, então só serão acolhidas sob determinadas condições.

E aí, como nós católicos vamos argumentar com um ateu por exemplo a existência de Deus se nem mesmo nós mesmos conseguimos ter uma atitude cristã e humana?

Engraçado, o título é Vocação... mas sinceramente a única vocação que eu vi ali foi para o preconceito.

Ouvir dizer que esse texto é do pessoal da Pastoral. Conheço gente da pastoral, e realmente espero que essa galera reflita bem sobre o que escreveu.

Todo mundo tem direito de expressar suas opiniões. Mas antes temos o dever de pensar nas consequências daquilo que vamos escrever.

Gustavo Assumpção disse...

Eu paro, reflito, tento entender, compreender, mas é impossível.

Eu não entendo o que leva uma pessoa a escrever e acreditar num texto desse tipo. Sério, eu não sei ONDE É que um relacionamento entre pessoas do mesmo sexo consegue atingir tanto essas pessoas. Qual o problema de amar alguém que, pelo acaso, é do mesmo sexo que você? Qual é o problema de construir uma vida ao lado dela? No que isso prejudica a sua vidinha de merda?

Tratar homossexualidade como algo "não-natural" é não acreditar na própria naturalidade do amor. É tentar perpetuar a ideia de que a gente escolhe quem amar, de que amor é algo condicionado e, principalmente, de que só existe amor onde existe uma merda de um sacramento que ninguém respeita a séculos.

Eu já passei da fase de culpar a religião por esse tipo de ato ridicularizador. Eu acho que a religião é só um mero detalhe pra um bando de imbecis saírem perpetuando suas visões distorcidas do mundo por aí. Não tem argumentos pras suas angústias/neuras, joga na religião, quase sempre é assim.

O mais grave disso aí é a distribuição dentro do ambiente acadêmico, que, teoricamente, não comporta esse tipo de expressão ´religiosa´. "Liberdade de expresão", alguns bradam por aí. Que liberdade é essa que só perpetua dor, sofrimento, culpa e desrespeito?

Willian Casagrande Fusaro disse...

Deprimente.

E, senhor anônimo abaixo, liberdade de expressão é diferente de descriminação - e, no caso em questão, não há o mínimo de respeito na declaração no que tange às uniões homossexuais. Dizer que é pecado não tem problema, já que esse conceito está restrito à esfera religiosa, mas afirmar que é uma "doença", "anomalia", "desvio" já é demais... Ainda nem sabemos o que realmente motiva um indivíduo a ter atração por pessoas do mesmo sexo - e, sinceramente, isso, ao meu ver, não interessa a ninguém, porque o que basta a nós todos, independente da preferência sexual, é estar com a pessoa que ama

Lucas disse...

A Igreja católica de Londrina parece que assumiu essa campanha ein. Vejam também este boletim da Pastoral familiar de Agosto de 2011, páginas 20 e 21: http://issuu.com/mauriciotab/docs/pastoral-familiar-ago-2011 . Católicxs que não compartilham esse preconceito deveriam se mobilizar também.

Lucas disse...

E sobre este mesmo caso ouçam ainda a entrevista na Rádio UEL com o Padre responsável pelo texto: http://soundcloud.com/murilopj/homofobia-no-boletim-universit#

Missões Familiares de Schoenstatt Ibiporã disse...
Este comentário foi removido pelo autor.