domingo, 7 de agosto de 2011

Estamos todos loucos


"Lembra-se de Beatriz? Fui visitá-la no hospício. Não me reconheceu. Você não sentiu a mesma coisa ao me ver pela última vez? Pois foi também o que senti ao ver você. Estamos todos loucos, Alemão. Loucos e fodidos! A alienação tem muitos caminhos. Mas a mental é menos importante e grave que a vital. Não foi nossa mente que ficou louca, mas nossa vida, compreende? E permanecendo intacto o pensamento, julgamos, criticamos, analisamos e sintetizamos essa incapacidade de ser, estar, sentir, querer e fazer. E para que isso? Que merda fedida, hem, Alemão?"

Roberto Freire - Cleo e Daniel. Ed. Círculo do Livro - São Paulo, 1991. Pág. 80

4 comentários:

Carolina Daemon Oliveira Pereira disse...

oi, adoro o freire tb. vi q vc me mantém na sua barra lateral de blogs.
bacana, mas meu blog mudou de nome... não sou mais menina do dedo verde, sou só eu, carol daemon.
bjs

Lucas disse...

foi atualizado o link Carol querida, obrigado pela visita e pelo lembrete : )

Nessa disse...

Apesar de acharmos que mantemos a capacidade de pensar, continuamos caindo na inércia, no comodismo. Pq, infelizmente (ou não), o pensamento não tá diretamente associado à ação (sou até exemplo disto -poucos se safam-, ao passo que não sou hipócrita o suficiente para não admiti-lo)- - Alienação..vital.

Lucas disse...

é, triste fato Nessa. Nos resta isso, admitir para buscar superar.