sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Soneto ser, ou, À inocência

É difícil ser um ser pensante,
Pensante e incompreensível,
Além de auto-destrutível,
E eu quero que você cante
...
Não é fácil ser ser humano
Muitas vezes irreconhecível
Por outras tantas impassível
É difícil ser um ser mundano
...
Não é legal um dia ter que pensar
E nada ter para concluir
É muito chato poder amar
...
E não ter com quem dividir
Levar a vida para cultivar
Sem saber se no fim vai curtir
...
Tudo que precisamos fazer
É viver, viver com competência
Utilizando a inteligência
Para criar seu próprio lazer
...
E proliferar ambientes de paz
Se preocupando em gozar na infância
Pois o bom é ser, ter eterna clemência
Sorrir para sempre, que mal isso faz
...
Se não for possível vamos nos esforçar
Para certo vamos com toda bravura
E nunca desistir antes de terminar
...
Pois eu prefiro por mais a loucura
Do que respeito, medo em todo lugar
Tudo que eu quero é felicidade pura
...

Pura debilidade
Felicidade pura
Cura toda a maldade
Até mesmo amargura

---------

recuperando mais uma página amarelada..

Nenhum comentário: