quarta-feira, 23 de junho de 2010

Escuta, Zé Ninguém!



"Eu conheço a facilidade com que diagnosticas de locura toda a verdade que te desagrada, Zé Ninguém. E como te consideras o espécime acabado do Homo normalis. Duma maneira ou de outra, condenas à reclusão os loucos, e são as pessoas normais que governam o mundo. A quem pedir contas, então, de toda essa miséria? [...] Mas quando penso nos teus filhos recém-nascidos, no modo como os torturas a fim de transformar em criaturas "normais" à tua imagem e semelhança, sou tentado a aproximar-me de ti novamente a fim de impedir os teus crimes."



Wilhelm Reich, Escuta, Zé Ninguém! (1945)


---------


Fonte: Livro: Black Flag. Valerio Evangelisti, Pág. 67.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Zé Ramalho: Drug free?

Estou lendo o Livro: "Zé Ramalho: Um visionário do Século XX".

A autora Luciane Alves, navegou pelos livros e músicas de Zé Ramalho e acabou produzindo não uma obra biográfica mas sim um belo brado da anarquia.

Recomendadíssima a leitura!


Pelo que diz aqui ele escreveu a música: "Avohai" sob o efeito de um chá de cogumelo. Mas um pouco mas para frente no livro me deparei com essa passagem:


Zé Ramalho, revoltado com toda essa situação de rivalidade entre os homens, entregou-se às drogas. Como todo poeta sensível às disputas humanas, ele tentava se afastar da Terra. A música "A Terceira Lâmina" é também um relato do que Zé Ramalho vivia no período de dependência de drogas:

"Afastado da Terra,
Ele pensa na fera que o começa a devorar."

A Fera era a cocaína, que o afastava de toda aquela situação caótica de guerra implantada pela humanidade, mas ao mesmo tempo o devorava, causando a dependência. Diante de sua própria fraqueza, ele declara ser capaz de sair da fundura do poço onde se encontrava.

"Acho que os anos irão se passar
Com aquela certeza
que teremos no olho.
Novamente a idéia
de sairmos do poço,
da garganta do foço,
na voz de um cantador"

A canção é o que salva. Zé Ramalho foi capaz de cortar a ligação com o mundo das drogas. Para isso passou um período de grande sofrimento, mas sua consciência falou mais alto, e ele acredita que seu exemplo deve ser seguido por muitos que ainda estão seduzidos pela cocaína.

A voz de um cantador pode nos ajudar a ter consciência e sair do caos vigente. Estamos pensando em tudo isso por causa de um compositor e suas canções. E porque acreditamos que somos capazes de mudar e de fazer com que as pessoas que nos cercam mudem conosco, pois, como nos diz Zé Ramalho na música Um pequeno Xote:

"Toda pessoa merece felicidade,
Uma vontade danada de bem viver.
O mundo é bom quando se for entender
que tudo vinga quando se pode querer."

----

Zé Ramalho é drug free? haha.
essa é nova pra mim : )

Fico feliz.

----------

Referência: Alvez, Luciane. Zé Ramalho: Um visionário do século XX. - Rio de Janeiro: Record: Nova Era, 1997.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Levantem os seus estilingues

Está na hora de botar o bloco negro nas ruas do Brasil:

Democracia Militar


Sabia mais no Vimeo.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

A indiferença..

Quando vamos descobrir..
Que não é a vida
Mas sim
A indiferença
Que nos mata, nos condena,
lentamente.
?
--------

Foto: Indiferença - por Vinícius Rafael Vogel da Silva - Galeria Pública Fotojornalismo

domingo, 6 de junho de 2010