sábado, 8 de maio de 2010

Caixa alta e baixa segundo M. L. Erbolato

Tirem as suas próprias conclusões sobre essa concepção de mundo:

"Uma pessoa caixa alta a é a que está no topo da sociedade, em excelente situação financeira. Quanto às chamadas caixa baixa seriam as não bafejadas pela sorte e sem nenhuma projeção ou notiredade"

Mário L. Erbolato.
Jornalismo Gráfico: Técnicas de Produção. Edições Loyola - São Paulo. 1981. Pág. 15

2 comentários:

André HP disse...

Não sei se é razoável pensar nas pessoas em duas classes. Não foram poucos dicotômicos, maniqueistas de um mundo mal percebido. É isso, e não só isso, mais do que isso. Eis o ponto, uma complexidade complicada de perceber.

Gostei do blog. Faço comunicação social na UEPG.

Abraço.

Lucas disse...

Olá Andre, valeu o comentário e a visita. Eu luto por uma sociedade sem classes certamente. Mas é curioso isso. A divisão entre oprimidos e exploradores hj é tão grande e será que por isso mesmo está cada vez mais difícil de perceber? Eu ainda sinto e me revolto com o capitalismo, a opressão e a barbárie cotidiana. E espero que um dia, os caixa baixa se organizem e exijam o que é deles por direito, não vejo apenas como uma questão de sorte, superioridade ou inferioridade, como disse nosso amigo Erbolato, rs.. abraço!