terça-feira, 11 de agosto de 2009

Revolução Cotidiana

Viva o Aqui e o agora..

Não há dilema existencial para os que vivem o aqui e o agora. A tendência de nos evadirmos do espaço e do tempo em que estamos inseridos é enorme. Somos deste mundo mas acabamos morando em um castelo imaginário – que nem nos é prazeroso – construído pelas nossas frustrações e pela incapacidade de mudar a rota de nossas vidas.

A saída é vivermos o presente com as coisas que nos dão prazer. Mas temos medo, os riscos são grandes e nossa incompetência para aventura nos paralisa. Entre o risco no prazer e a certeza no sofrer, acabamos sendo socialmente empurrados para a última opção.

A partir do momento que rompemos a casca social e nossa espontaneidade renasce começamos a nos aproximar do aqui e o agora.

A opção política que uma pessoa deve fazer é viver o aqui e o agora de maneira crítica, criativa, assumindo suas limitações, mas mergulhando na aventura criativa da superação, da transformação do que é socialmente dado como obstáculo à espontaneidade, à liberdade, nossa e dos outros. Assim resgatamos nossa originalidade, nossa criatividade.

Começamos buscando um novo conceito de política e liberdade e acabamos encontrando um novo conceito de revolução. A revolução para nós se transformou em algo que ocorre o dia inteiro e deve ser total. A partir do momento que desejo transformar a sociedade ela começa. Fazer revolução e criar a sociedade dos nossos sonhos é algo simultâneo e não como se pensava convencionalmente: primeiro a revolução, depois a transformação social.

* Trechos do livro: "Paixão e Utopia" - Escrito por Roberto Freire

Nenhum comentário: