quinta-feira, 14 de maio de 2009

Nazismo na universidade Estadual de Londrina?

Ontem, ao me dirigir até a biblioteca setorial, próxima ao CECA na UEL, ví com duas cartas bem curiosas publicadas no mural, uma ao lado da outra. A primeira denunciava a movimentação de um grupo nazista no curso de História da Universidade Estadual de Londrina, seriam: "irresponsáveis com aquilo que carregam no peito". A segunda, respondia a primeira e ampliava a crítica dela ao afirmar que não basta apenas refutar o nazismo, mas é preciso também criticar outras formas de manifestações políticas totalitárias.

Até agora não ví o tal grupo e embora hoje seja um erro sensacionalizar a real influência nazista no estado do Paraná, o equívoco maior seria ignorar essa presença. Dois fatos recentes me fizeram pensar: No dia 02 de maio um estudante teria sido preso em Londrina por difundir o nazismo; nessa mesma data, em Curitiba, a polícia prendeu seis suspeitos de matar um casal nazista em uma festa Nazi em Curitiba, o motivo seria disputa de poder interno no grupo. Uma televisão e alguns jornais chegaram a afirmar que esse grupo tinha planos práticos para se infiltrar na polícia e política paranaense como forma de ampliar seu poder. E agora, mais essa polêmica na Universidade Estadual de Londrina?

Vejam as cartas:

Primeira carta:
Assinada por: "um ahoramágico."

Segunda Carta:
Assinada por: R. B.

Penso que esses são os indícios suficientes para que o nazismo no Paraná seja estudado com atenção. Esse estudo poderia nos ajudar a compreender melhor como esses indivíduos e grupos tem se difundido e saber o tamanho real de suas influências. No ano passado a AIT (organização anarcosindicalista internacional) alertava para o crescimento do nazismo e facismo ao redor do mundo e sugeria a criação de pólos de resistência e conscientização. Enquanto na Europa a constituição de grupos anti-nazistas/anti-facistas é comum, aqui, essa tarefa ainda fica relegada a indivíduos geralmente isolados. Será essa a melhor estratégia para o momento histórico que vivemos? E o que acharam do fato e das cartas?

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Barbosa: o prefeito do povo?

Olha a faca irmão:Prefeito vai aumentar a tarifa do busão

Após uma eleição controversa, Barbosa Netto foi eleito prefeito de Londrina com 135.507 votos, ou 54,12% dos votos válidos. Além do grande número de votos foi importante para sua vitória o apoio aceito e comemorado de Antonio Belinati ( ex-prefeito que teve seu mandato caçado e sua prestação de contas rejeitada pelo Tribunal de Contas ).

Agora que tomou posse, em algumas matérias, aparentemente "plantadas" nos jornais da cidade, Barbosa demonstra que sua prioridade é aumentar a tarifa de ônibus. Defende um reajuste imediato, seus argumentos principais são que há 2 anos e meio o valor da passagem é R$2,00 e que, se o óleo diesel é caro, a tarifa deve ser cara e quem deve pagar a conta é o trabalhador. Ele ameaça dizendo que, se não houver aumento, a qualidade do serviço irá piorar.

Mas se esquece que em 2004 o Ministério Público provou que a tarifa de ônibus na cidade já era abusiva e que na época o valor justo seria R$1,35. Será que o óleo diesel subiu tanto assim?

A pressa em aprovar o aumento, e as suspeitas de "mensalinho" levantadas em 2008 pelo vereador Orlando Bonilha, fazem-nos pensar que esse foi um compromisso de campanha acordado préviamente pelo candidato. Será?

----------

*Bonilha denunciou um possível "mensalinho" ( acordão que vigoraria há algumas legislaturas - ele apontou pelo ou menos dez vereadores que receberiam a mesada de R$ 1,6 mil da companhia de transporte coletivo). O então presidente da companhia, Gildalmo Mendonça, chegou a ser preso mas negou o pagamento e foi liberado com um habeas corpus.



Veja mais em: BondeNews
.