quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Luta pela liberdade Sindical: Alemanha

"A injustiça, mesmo quando atinge um só,
é uma ameaça contra todos nós"



O sindicato anarquista FAU, filiado a AIT, foi proibido de atuar e se declarar enquanto sindicato na alemanha.

Apelo urgente em Português de solidariedade ao sindicato livre alemão FAU: http://bit.ly/8OpI7y

Apóie a luta pela liberdade sindical na Alemanha: Envie email de protesto em 1 clique! http://bit.ly/5nKQzH

Vale lembrar que no Brasil, por exemplo, a unidade sindical e sua submissão ao estado é uma herança do Facista Mussolini trazida ao Brasil por Getúlio Vargas:

"O governo de vargas assina, em 15 de março de 1931, o decreto conhecido como Lei de Sindicalização. Até essa época, todos os sindicatos eram formados por iniciativa dos trabalhadores.. Os sindicatos eram livre, independentes e funcionavam como organismos de luta por melhores condições de vida e salário."

"O projeto sindical populista de Vargas previa a adução de algumas leis que, na verdade, eram conquistas dos trabalhadores.. inspirada na Carta del Lavoro de Mussolini.. A constituição corporativista de 1937 e a CLT consolidam e institucionalizam a política varguista para o movimento operário". (Silva, Antonio Ozai - História das tendências no brasil: origens, cisões e propostas, p. 60 e 61)

--------

Fotos da manifestação realizada em Berlin pela Liberdade de organização dos trabalhadores: http://ccphoto.de/?p=180
Site da FAU: http://www.fau.org/verbot

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Ajudar a polícia?

Ajude a polícia a identificar quem invadiu o campo no jogo Coritiba x Fluminense - 07/12/2009

é meu caro Bezerra. A coisa tá feia.

Malandro é malandro e Mané é mané.

Bezerra da Silva

"Já o Mané ele tem sua meta,
Não pode ver nada que ele cagueta,
Mané é um homem que moral não tem"

Dedo Duro
Bezerra da Silva
Composição: Walter Coragem/G. Martins/Bezerra Da Silva

Fecharam o paletó do dedo duro
Pra nunca mais apontar
A lei do morro é barra pesada
Vacilou levou rajada na idéia de pensar
A lei do morro é barra pesada
Vacilou levou rajada na idéia de pensar

A lei do morro é ver ouvir e calar
Ele sabia, quem mandou ele falar
Falou de mais e por isso ele dançou
Favela quando é favela, não deixa morar delator

Fecharam...

------------

Ajudar a polícia? rs.. só pode ser piada né. Tô fora! Há aqueles que são bem pagos para isso.

O Governo do Estado do Paraná criou um site com fotos de vários torcedores que invadiram o gramado durante a partida em que o Coritiba Foot Ball Club foi rebaixado para a segunda divisão. É curioso o talento que os mandatários do poder econômico, político e da grande mídia tem em despertar e aflorar certas paixões, em criar dependência. Mas assim que estas explodem são logo os primeiros a lhe tolher as asas e disciplinarizar. Seriam os torcedores os únicos culpados pelos lamentáveis acontecimentos no estádio Couto Pereira ? E a responsabilidade daqueles que, pelo lucro, incitam o nacioanlismo, patriotismo, clubismo fica como? Dessa forma estaremos fadados a, mais dia menos dia, ver cenas como essa se repetirem.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Michael Moore rompe com Obama


Do Obama era óbvio, mas pelo ou menos ele rompeu agora. Enquanto a maioria que se vende segue assim até a morte. Mas vai saber, talvez apenas não pagaram o que Moore passou a exigir dada a pressão interna nos EUA rs..

Mas isso não importa: Agora só falta romper com a Hillary, com a falsa-democracia e os burgueses, arrancar essa bandeira dos estados unidos do site e virar anarquista.

Um dia ele aprende : p


*** Brincadeiras a parte: Michael Moore, que fez campanha pró-obama, publicou carta em seu site e rompeu definitivamente com o presidente: http://www.michaelmoore.com/

** Fator determinante pode ter sido que Obama segue todas as políticas de "Busch", entre aspas pois fica claro que há algo maior por trás das marionetes, e agora está enviando mais 30 mil soldados para o Afeganistão.

* Espero que essas coisas sirvam de lição para os brasileiros que seguiram a onda da grande mídia e ficaram esperançosos com o "grande" Obama.

---
A esperança no parlamentarismo submete e pressupõe a falta de esperança, tesão e capacidade nos movimentos autônomos, populares e libertários. A consequencia é a real inatividade política, o desperdício de forças e energias em atividades indiretas, não-transformadoras, e o parasitismo partidário. O efeito final é a legitimação da estrutura de dominação, a manutenção do status-quo e a derrota final a curto, médio ou longo prazo de todas as iniciativas e potencialidades emancipatórias. O motivo pode ser o oportunismo capitalizador, a opressão sistemática as perspectivas de luta autonomas ou simplesmente a falta de compreensão histórica dos indivídos e coletivos envolvidos no processo todo.
---

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Efeito verdade e hipocrisia

"No entanto, quando se viu só dentro do carro, com uma satisfação em que havia o seu quê de surpresa, sentiu a mesma sensação de alívio do homem a quem acabam de arrancar o dente que o fazia sofrer há muito: o choque é terrível, o doente tem a impressão de que lhe arrancaram da maxila uma coisa imensa, maior ainda que a sua própria cabeça, mas ao mesmo tempo, sem acreditar muito na felicidade, verifica o desaparecimento dessa coisa abominável que por tanto tempo lhe envenenara a existência. Pode viver de novo, de novo pode pensar e interessar-se por outras coisas que não sejam própriamente o seu sofrimento"(Tolstói, p.264)

"a hipocrisia é capaz de iludir o mais inteligente dos homens, mas a criança de mais limitada inteligência logo a descobre e por ela sente repulsa"(Tolstói, p.254)

-------

Referência:

Tolstói, Leon. Ana Karenina. Editora Abril Cultural, 1ª Ed. Ago. 1971. Tradução de João Gaspar Simões. Da coleção "Os imortais da literatura universal"

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Solidão e auto-organização

"O tempo e o trabalho, contudo, acabaram por cumprir a sua tarefa. O dia-a-dia do campo, tão importante na sua moléstia, apagou, pouco a pouco, todas essas impressões dolorosas.."

"..E essa esplêndida primavera ainda mais excitou Liêvin, reforçando seu propósito de renunciar ao passado para organizar a vida solitária em condições de solidez e independência.. Se muitos dos projetos que formulara no regresso tinham ficado no papel, o ponto essencial, a castidade da vida, não o atormentava mais: a vergonha que habitualmente se seguia a cada uma de suas quedas findara, tinha agora coragem para olhar as pessoas de frente.."

"E desse modo, a despeito da solidão em que vivia, ou talvez como consequência dela, tivera uma vida cheia. Só de longe em longe lamenava não ter mais ninguém além da sua velha ama a quem comunicar as idéias que lhe vinham à cabeça, pois acontecia-lhe muitas vezes pôr-se a falar diante dela de física, agronomia e sobretudo de fiolsofia.." (Tolstói, p. 148)

-------

Referência:

Tolstói, Leon. Ana Karenina. Editora Abril Cultural, 1ª Ed. Ago. 1971. Tradução de João Gaspar Simões. Da coleção "Os imortais da literatura universal"

Vem meu igual..

"Sozinho não dá
eu não vou aguentar
vem meu igual"
Cólera

Hoje aprendí com a vida uma dura lição: nunca se separe das pessoas que você gosta. Nunca! A não ser que isso esteja fora de suas capacidades. Se puder, mantenha o contato.

Fiquei sabendo agora que uma grande amiga, com quem eu não falava há muitos anos e por isso não sabia onde e como estava, cometeu suicídio no ano passado.

E ela estava aqui em Londrina, aqui perto.

Fico pensando porque depois que eu voltei para cá nunca tentei descobrir por onde essa linda, pequena e colorida borboleta estaria?

As vezes contentamo-nos com a vida tal como ela se apresenta. E isso não basta, temos que "lutar para viver melhor, bem melhor". A hora certa para viver é aqui e agora. Jamais abandonar companheir@s à própria sorte. Independentes e autônomos sim, isolados jamais.

D., por tudo que me ensinou, estará sempre em meu coração..

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Entre o real e o aparente

"E eis que de súbito, sem em nada renegar suas convicções, se encontrava diante de uma situação ilógica, abusrda, não sabendo como proceder."
"Essa situação era nada mais nada menos que a vida real, e se achava ilógica e estúpida, era apenas porque nunca a conhecera senão através do aneparo deformador de suas obrigações profissionais. A impressão que experimentara naquele momento era de um homem que passa tranquilamente por uma ponte suspensa sôbre um precipício e se apercebe, de súbito, que a ponte está desmantelada e o abismo a seus pés. Esse abismo era para ele a vida real, a ponte, a existência artificial, a única coisa que até então conhecera do mundo. Pela primeira vez lhe vinha à mente a idéia de que sua própria mulher pudesse gostar de outro homem, e essa idéia aterrava-o."(Tolstói, p.140)

----

Referência:

Tolstói, Leon. Ana Karenina. Editora Abril Cultural, 1ª Ed. Ago. 1971. Tradução de João Gaspar Simões. Da coleção "Os imortais da literatura universal"


quinta-feira, 12 de novembro de 2009

A imagem anarquista

Até dia 14 de novembro, de segunda a sexta, das 8h às 19h,
e aos sábados, das 8h às 13 horas

Na Biblioteca Púbica Municipal de Londrina


Um mundo sem governantes, regido pelo amor livre e a coletivização dos meios de produção, fascinou gerações. Atacado tanto pela direita quanto por setores da esquerda, o pensamento anarquista mobilizou grande parte dos movimentos operários e sociais surgidos no Ocidente a partir do final do século 19.

A exposição ''A Imagem Anarquista'', em cartaz na Biblioteca Pública Municipal de Londrina, traz um panorama das ideias libertárias através de painéis com reproduções de charges e recortes de jornais. O material foi pesquisado no acervo do Centro de Documentação da Unesp-SP.

''Na verdade, a mostra completa reúne cerca de 300 imagens. Tive que reduzí-la para 45 por falta de espaço'', diz Alberto Gawryszewski, docente do Departamento de História da UEL e responsável pela montagem. Entre os temas representados nos painéis figuram a exploração no trabalho, os mártires e heróis dos trabalhadores, a repressão policial, as festas, os comícios e as ações diretas.

Uma parte da iconografia foi extraída de jornais holandeses, argentinos, espanhóis e americanos. Algumas imagens tratam do movimento anarquista brasileiro nas três primeiras décadas do século 20. De acordo com o organizador, o pensamento libertário teve grande visibilidade no meio operário pelo uso de desenhos e ilustrações como meios para divulgar suas manifestações.

A imagen passou a ser um instrumento de educação política por facilitar a transmissão da mensagem ao leitor, que se identificava enquanto indivíduo ou classe social na representação visual. Gawryszewski conta que, além da exposição, o projeto de resgate do movimento anarquista envolve a realização de um video-documentário e a publicação de um livro temático, tudo com patrocínio da Petrobrás.

''Eles seriam lançados junto com a exposição, mas tudo atrasou por causa da gripe suína que paralisou as atividades acadêmicas no mês de agosto. Se não der para fazer o lançamento até dezembro, deixaremos para o próximo ano'', diz. O livro, já pronto, foi escrito em parceria com Paulo Alves e Isabel Bilhão, também docentes do Departameto de História da UEL.


Fonte: Folha de Londrina

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Bolsa Celular???




Eu sempre achei um exageiro as críticas aos programas de bolsas do governo Lula. Mas agora superaram todos os limites:

"Empresas dariam aparelho e crédito de sete reais por mês para famílias beneficiadas pelo Bolsa Família; governo ofereceria isenção do imposto FISTEL."

Obs:
o programa foi proposto *pelo governo* e não pelas empresas.

Acreditem se quiser: idgnow

É bom para quem?

Para o governo é bom, pois todos ficarão felizes em ganhar um celular de graça. Para as empresas também é bom pois, além de lucrarem 1,9 BILHÕES a mais, vão poder inundar mais milhares de pessoas com propagandas: recarregue, compre isso, envie mensagens, ganhe, lucre, seja...

E para o povo é bom ter um celular?

A questão não é essa. Bom mesmo é poder investir anualmente 1,9 BILHÕES em saúde ou educação. É muita grana!!! Imagina, dava para montar escolas, bibliotecas e centros sociais FODAS em cada cidade desse país, fazer reforma agrária adoidado e etc..

Vejam:
A estimativa de arrecadação do Fistel [..] é de R$ 1,956 bilhão. [..] R$ 1,8 bilhão [..] pelas operadoras de telefonia móvel e [..] R$ 40 milhões da telefonia fixa. Em 2008 foi de R$ 1,4 bilhão.

Fonte: telecomonline

[]´s revoltosos com tanta patifaria.

domingo, 8 de novembro de 2009

O capital oprime o trabalhador

Se eu não compartilhasse isso após a leitura, poderia mudar o título do blog:

"- Bem sabes que o capital oprime o trabalhador. Entre nós, os operários e os camponeses suportam todo o peso do trabalho, e as coisas estão feitas de tal maneira que por mais que trabalhem não conseguem passar de bêstas de carga. Todos os benefícios, tudo o que permitiria ao trabalhador melhorar sua condição, ter descanso e por conseguinte tempo para instruir-se, todos êsses benefícios os capitalistas lhes roubaram. A sociedade está organizada de tal maneira que quanto mais os operários trabalhem tanto mais amealharão os comerciantes e os donos da terra, continando aquêles a ser bêstas de carga. É preciso modificar esta ordem de coisas - conclui olhando interrogativamente para o irmão."(Tolstói, p. 91)

E outra que me identifiquei por ter tido um raciocínio semelhante há uns anos:

"..mas sempre se dera conta da injustiça que representava o muito que tinha em comparação com a miséria do povo. Para se sentir completamente justo, apesar de que sempre trabalhara muito, vivendo sem luxo algum, tomou a resolução de trabalhar cada vez mais e de levar uma vida mais simples. Tudo lhe parecia tão fácil de realizar que pensar nisso foi a coisa mais agradável que lhe ocorreu durante o trajeto"(Tolstói, p. 95)

Mais um que me remete ao que estou vivendo agora:

"é um absurdo não aceitarmos a vida como ela é, deixarmo-nos dominar pelo passado. Há que lutar para viver melhor, muito melhor" (Tolstói, P. 98)

----

Referência:

Tolstói, Leon. Ana Karenina. Editora Abril Cultural, 1ª Ed. Ago. 1971. Tradução de João Gaspar Simões. Da coleção "Os imortais da literatura universal"

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Estado Policial no Rio Grande do Sul

Para os explorados a prisão, a morte
Para os capitalistas ladrões, todas as homenagens*

A democracia brasileira está machada de sangue e segue, embora com seus métodos peculiares, os passos das democracias burguesas ao redor do mundo. A cada dia a repressão se torna mais aguda e faz mais vítimas. Um exemplo é Rio Grande do Sul que vive hoje em estado policial. Como se não bastasse a barbárie cotidiana, sacudiram a poeira da ditadura e a botaram novamente para torturar.

Depois que o trabalhador rural Elton Brum foi assassinado, com um tiro calibre 12 pelas costas, cresceu a denúncia e a mobilização contra o estado, a governadora Yeda Crusius e a Polícia. A repressão entretanto se fortaleceu. A sede da FAG(Federação Anarquista Gaúcha) em Porto Alegre, que visitei há uns anos atrás e pude conferir de o bom trabalho que desenvolvem, foi invadida pela polícia no dia 29 de Outubro, 2009. Roubaram um computador, materiais impressos que denunciavam a governadora Yeda e chapas para imprimir cartazes.

O abuso passou a ganhar destaque, boletins eram publicados no site da Federação Anarquista Gaúcha que recebeu nos últimos dias milhares de visitas. Mais uma vez, de forma arbitrária a página: http://www.vermelhoenegro.org/fag foi agora censurada, banida da internet.

Vejam mais em: Capitalismo, Estado e Repressão - Passe a Palavra

...
Não vamos nos calar.
Espalhe essas notícias.
Sem justiça social não haverá paz.
Solidariedade à FAG e aos que lutam!
Não poderão jamais nos calar! Resistimos!
...
* Imagem publicada no jornal anarquista "A Plebe" no dia 24/05/1919.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Café quente em noite fria


O grupo Caos e Acaso da Fábrica de Teatro do Oprimido apresentará em Londrina, na Jornada SESC de Artes Cênicas, a peça "Café quente em Noite Fria ou a Lenda do Ouro Verde":

Dias 28,29 e 30 as 21h - R$ 8,00 e 4,00
No SESC da Fernando de Noronha, nº264.

domingo, 25 de outubro de 2009

Asssassinato em Roraima! ?

Para os explorados a prisão, a morte
Para os capitalistas ladrões, todas as homenagens*

A história desse país está manchada de sangue.. dos índios, negros, imigrantes, humildes e rebeldes. Sangue de quem sonha, acredita, resiste e busca um mundo melhor. Sangue de pessoas honestas e fortes. O consenso, a ordem, o desenvolvimento nacional e o silêncio popular é e sempre foi uma mentira forjada com a crueldade repressiva da corrupção, do crime e da injustiça. Ontem e hoje. O capitalismo nefasto segue espalhando medo, isolamento e devastação.

Ao que tudo indica o professor, poeta, escritor, músico, compositor e anarquista Chrystian Paiva foi suicidado no dia 18/10/2009: Passe a Palavra

[..]
Ontem apaguei certas luzes,
Definitivamente,
E elas vieram atrás de mim,
Ignorantes,
[..]
( trecho do poema "Rosas" de Chrystian Paiva )

-----
... Chrystian ainda vive em nossos corações!
* Imagem publicada no jornal anarquista "A Plebe" no dia 24/05/1919.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Seminário: Imagens e Mensagens do 1º de Maio

(A Plebe – Ano 30 Nº1 - 01/05/1947,p.3)

Amanhã - Sábado - dia 24/10/2009 será realizado um seminário interno do projeto de pesquisa que participo. A entrada é gratuita. Vejam a programação:

Local: Universidade Estadual de Londrina

Manhã 9:00 às 12:00 - sala 110 - Mini-Curso: “Imagens e mensagens do Primeiro de Maio, contextos e leituras” - Com a prof. dr. em História Isabel Bilhão

Tarde 14:00 às 17:00 - Simpósios Temáticos (ST)

ST 1: O Primeiro de Maio na Primeira República - Sala 109
ST 2: O Primeiro de Maio na Era Vargas - Sala 109
ST 3: O Primeiro de Maio durante o Regime Militar - Sala 111

------

No ST1 que vou participar acontecerão os seguintes seminários:

Autor: João Carlos Marques
Palavras-Chave: Primeiro de Maio, Anarquismo, A Voz do Trabalhador.
Resumo: O trabalho tem por objetivo analisar as representações da comemoração do Primeiro de Maio no Brasil durante a Primeira República, utilizando para pesquisa o jornal anarco-sindicalista A Voz do trabalhador, editado pela Confederação Operária Brasileira no Rio de Janeiro entre 1908 e 1915, enfatizando as formas de representação sobre o ideal anarquista nas comemorações do Primeiro de Maio, bem como o verdadeiro significado da data para os anarquistas, onde o operário consciente, neste dia, deveria cruzar os braços para reivindicar a redução da jornada de trabalho, sendo a data não um dia de festa e sim de protesto.

Autor: Lucas de Godoy Chicarelli
Palavras-Chave: História, jornais, anarquismo
Resumo: Serão apresentadas imagens e mensagens do 1º de Maio identificadas em 61 edições do jornal anarquista “A Plebe”, publicado em São Paulo, entre 1917 e 1949, tendo como principal diretor Edgard Leuenroth. Ao analisar 10 edições do jornal, que aludiam ao dia do trabalho nesse período, destacam-se a compreensão da data como um dia de luta e de luto, as manifestações de 1919, animadas pela revolução Russa de 1917, e um vestígio de descontentamento já em 1921.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Segundas ao Sol 2



Não preciso falar muito desse filme. Saibam que é o meu predileto. ( acho que não existe isso de melhor filme mas tenho uma relação especial com esse. Para terem idéia na época do lançamento eu descobri o filme, fiz a legenda em português, enfim, é muito bom. Fico bem feliz de ter contribuído com a difusão dele no Brasil)

Será exibido na UEL, Londrina. Segunda-feira, dia 26/10/2009, 19h. Na sala 201(piniquinho) do CCB.

Quem puder ir eu recomendo, vejam mais em:
Segundas ao sol - Vida Operária

* Esquecí de comentar mas o filme está sendo organizado pelo tal campo "Barricadas", que eu considero como uma linha, ou corrente, do PSOL.

domingo, 18 de outubro de 2009

Educação no Shopping?

*** Me disseram agora que o professor pode não cobrar presença, então seria apenas um convive informal e o professor faltaria a aula oficial. Vou checar essa informação, mas fica aí como ponto de reflexão sobre as relações público-privadas. Que nossos espaços de discussão sejam mais independentes e autonomos.. Veja abaixo a postagem original:

Vamos para a aula?

O que leva um professor, em uma universidade pública, a marcar uma aula no maior shopping da cidade, o maior templo do consumo fácil, e cobrar ingresso dos alunos?

Porque convidar um político, e apenas um, de um partido, para compor a mesa de discussão?

Se a aula leva o nome de um dos maiores cursinhos, do maior shopping center da cidade, e ainda conta com a participação de um político na mesa, toda a divulgação gratuita das marcas e personalidades envolvidas, feita por nós alunos e nossos queridos professores, já não deveria pagar pelo ou menos pelos ingressos?

Quem é que lucra com isso? Mesmo que o valor seja apenas para o aluguel do espaço, isso não justifica a cobrança. Se o Shopping não pudesse ceder o espaço porque não realizar a discussão na uel ou no sigma?

Dentro disso, será discutida a ética na imprensa? com que ética?

Enfim, que estiver afim de ir fica aí o convite:

Cine Sigma Catuaí - Exibição do filme Leões e Cordeiros; em seguida, debate com o deputado estadual Luís Eduardo Cheida(PMDB), o professor Alberto Klein (Comunicação Social da UEL) e o professor Fábio Silveira (Comunicação Socila da Faculdade Pitágoras). Domingo, às 9h30 e segunda-feira, às 21h. No Cine Catuaí. O evento é aberto à comunidade e o ingresso custa R$ 4.

------------

Embora a discussão sobre o filme seja interessante, não gostei da cobrança, da presença e do local.. Nesse caso seria: "penso, logo boicoto?" rs...

-----------

Atualizando hoje(segunda-feira): a exibição do filme foi cancelada, não souberam me dizer o motivo. A aula no shopping center, com presença obrigatória ou não obrigatória, enfim foi cancelada.

Mulheres Anarquistas


Procurando umas informações paro meu projeto de pesquisa, tentando descobrir quem foi Isa Ruti, acabei descorbindo 2 coisas interessantes:

1. Blog sobre história e anarquismo em Santa Catarina (parece ser de pesquisador para pesquisador, então os textos desse blog costumam ser longos):
http://acratastudiorum.blogspot.com/

2. "Ebook": Mulheres Anarquistas:
Mulheres Anarquistas - anarcopunk.org

Não lí quase nada dos dois sites, só copiei os artigos aqui para ler com calma depois.

Mas fica aí a dica.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Snowman?


haha. Por essa eu não esperava. Mas não deve ser nada mal ter um maluco desses pra dar um suporte anti-puliça nas manifestações por aí. rs..

Vejam mais em: Resistir e Libertar

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

.isto não é uma poesia.

Frente ao domínio,
a união é condição necessária
à existência.

Mas seguimos isolados e sem rumo.

Na destruição
de que adianta marchar...
de cabeça erguida?

O Grupo Baader Meinhof


Alemanha, anos 70: atentados a bomba, a ameaça do terrorismo e o medo do inimigo interior abalam as bases da ainda frágil democracia alemã. As crianças radicais da geração nazista, lideradas por Andreas Baader (Moritz Bleibtreu), Ulrike Meinhof (Martina Gedeck) e Gudrun Ensslin (Johanna Wokalek) travam uma guerra violenta contra o que veem como a personalização do facismo. O objetivo é criar uma sociedade mais humana, mas os desdobramentos..

----

Promete.. Me interessei bastante por esse filme.

Em exibição de 16 a 22 de outubro - Cine COM-TOUR UEL
Londrina - Av. Tiradentes, 1241
HORÁRIOS: 20h30min (Diarimente) 16h00 (Sábado e Domingo)
VALORES: R$ 4,00 (meio) e R$ 8,00 (inteiro)
(sexta-feira sempre meio ingresso R$ 4,00)
www.casadecultura-uel.blogspot.com

domingo, 11 de outubro de 2009

A decepção de Obama



Exibição do Documentário: A decepção de Obama
Data: Sábado - 17 de Outubro
Local: DCE - UEL - Centro
Horário: 16 horas
(em Londrina)

----

A muito tempo tínhamos a idéia de realizar exibições de vídeos de maneira periódica, associando essa atividade a diálogos-discussões sobre os temas abordados. A idéia era criar um ambiente de convivência fora dos locais e horários tradicionais. Quem estuda, trabalha e também sente carência de espaços mais abertos e críticos de convivência sabe a importância desse tipo de iniciativa. Agora parece que vai sair do papel. : )

sábado, 10 de outubro de 2009

A salvação

Fiquei curisoso para ver. Fica aqui a dica: A salvação - Tim Burton

Se alguém já viu me diga o que achou.

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Obama é uma marionete

E você?

Quando mais de 90% dos norte-americanos desacreditava no congresso e nos políticos, sentindo-se traído pelas mentiras que justificavam as guerras e a acentuada crise econômica, ele foi levado ao poder pelos poderosos de Wall Street para dirigir uma nova era de progresso e lucro do império norte americano. Foi, assim, apoiado pela mídia mais burguesa e poderosa de todo o globo, manteve guantanamo, não retirou as tropas do Iraque, foi contra a criação de uma comissão para investigar as torturas e os crimes de guerra e contrário a divulgação das fotos das prisões em Abu Grhaib. Parabéns, ele é nosso lider, nosso salvador. Obama! Entoemos a Obama! O mais novo Prêmio Nobel da Paz. tsc...

O Nobel é uma farsa.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Santos sanguinários

INVEJA

QUEM PECOU - Papa Bonifácio VII

Disputas papais cheias de cardeais bonzinhos à espera da fumacinha branca? Nem sempre. Para chegar ao cargo máximo da Igreja, alguns pontífices são acusados de ter mandado empacotar seus antecessores. Bonifácio VII foi o mais cruel deles: estrangulou com as próprias mãos Bento VI em 974. Expulso de Roma, voltou quatro anos depois e ainda depôs Bento VII

IRA

QUEM PECOU - São Longuinho e São Sebastião

Quem já pediu ajuda a são Longuinho para achar um objeto perdido nem imagina que ele era um militar romano, Cássio, cheio de sangue nos olhos: ele não só acompanhou a execução de Jesus como perfurou com a lança o abdome de Cristo, para se certificar da sua morte. No século 3, são Sebastião também foi um militar que engrossou as fileiras romanas, que prendia e perseguia cristãos

Saiba mais em: mundo estranho

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Boicote as olimíadas do Rio?

Ouví dizer:

"A pesquisa realizada pela FGV, publicado pelo jornal O Globo, calcula que até o início da Olimpíada do Rio de Janeiro em 2016, o governo e empresas privadas vão investir 155,7 bilhões de reais (E.U. 85,6 bilhões dólar)."

Daí fiquei pensando o que poderia ser feito pela educação ou a saúde com toda essa grana? Criar centros esportivos e de lazer de base em várias cidades ao invés de torrar tudo em apenas um centro tecnológico, algo assim.

O que vocês acham?

sábado, 3 de outubro de 2009

UniCaronas

Boas idéiasMovem um novo mundo

O UniCaronas pretende ajudar estudantes que precisam viajar. Para isso facilita a comunicação entre pessoas que procuram e oferecem carona.

Fundado em abril de 2007 com o nome de Caronas Unicamp foi crescendo até ultrapassar os 5 mil usuários em Julho de 2009.

Em Setembro, visando ajudar mais pessoas, mudou de nome e passou a aceitar cadastros de outras grandes universidades. Assim surgiu o UniCaronas, o maior site de caronas do Brasil.

Infelizmente parece que o cadastro direto no site ainda é restrito aos estudantes da Unicamp, Usp e Unesp. Espero que se amplie em breve. Quem já deixou de lado uma viagem muito desejada pelo simples fato de não ter grana entende como esse tipo de iniciativa, pequena, é importante.

Mas fica aqui a dica. Gostei da idéia: http://www.unicaronas.com.br

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Oreste Ristori

Uma aventura anarquista


Logo após as primeiras páginas já fiquei maravilhado com o trato que o autor Carlo Romani teve com a história. Após extensa pesquisa sobre a trajetória do anarquista italiano Oreste Ristori, que nasceu em um ambiente muito pobre na Itália, o texto mescla sutis elementos literários e apresenta, ao longo da narrativa, uma incontável lista de referências documentais, institutos, fundos, entrevistas consultados. Mas o que mais me atraiu é a forma como o autor mergulhou profundamente no contexto e nas disputas internas do movimento libertário, sem esses elementos seria impossível compreender a história. Além disso, como lembra o prefácio de Margareth Rago, constitui uma importante contribuição ao romper com as fronteiras e demonstrar como desde cedo o anarquismo, e o movimento dos trabalhadores, se constitui como um movimento internacionalista e os pesquisadores muitas vezes acabam limitados aos acervos de seus países.

É curioso também notar o pouco conhecimento dos libertários brasileiros sobre essa figura, fato que talvez se deva as constantes releituras de sua posição ao longo das lutas. Ristori sofreu a vida toda uma extensa vigilância e foi classificado pela polícia como um “anarquista exaltado, prepotente e temível”. Grande orador e agitador, foi expulso de quase todos os países por onde passou: Itália, França, Argentina e Brasil. Participou também grandes ações diretas e dirigiu por muitos anos o periódico “La battaglia” que só posteriormente passaria as mãos de Gigi Damiani. Temeroso com a ascenção fascista(ditatorial) no Brasil e desiludido por não ver o estouro de um grande movimento revolucionário em terras latino-americanas acabou sendo deportado para a Itália onde, apartado do seu grande amor e companheira Mercedes e junto com outros anarquistas, foi sumariamente assassinado pelas autoridades fascistas.

Uma visão geral do livro está disponível no GoogleBooks

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Desordem e regresso

Parabéns! Ao invés dos caras se preocuparem em melhorar a educação dos nossos filhos eles editam leis para obrigá-los a cantar o hino nacional!

Grande piada, só no brasil:

Alencar altera a lei 5.700 de 1971 que estabelece regras para uso dos símbolos nacionais

Queria escrever uma crítica concisa para publicar no blog mas o desgosto ainda não me permitiu.

E a religião?

Vale lembrar que o ensino religioso aqui no Paraná também é obrigatório! Pelo que lí aqui apesar da LDB de 1996, artigo 33, determinar que a oferta da disciplina é obrigatória, mas a matrícula dos alunos na disciplina é facultativa. A instrução 01/06, do Conselho Estadual de Educação, orienta que no Paraná a disciplina deve ser obrigatória para a 5ª e 6ª série. O pior é que muitas escolas optam por ofecerer uma educação "cristã", não é nem religiosa, para todas as séries.

abraços desgostosos.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Primavera silenciosa



O silêncio a separação o caminho dos corvos as palavras estão mortas
Mil damas em fitas todas enfeitadas, debaixo
o sol debaixo a terra debaixo de uma bandeira horrível
E as trombetas. fazem-nas zurrar como mulas pontuais
num tempo de peste, num tempo de guerra
A paisagem envenenada contaminada pelo tubo da fábrica,
o terra doentia o céu doentio.
Olhos frios espiam da topo da pirâmide:
o bandido governo, informantes do governo.
Mas eu quero algo mais diferente não estas fábricas de prisões
Eu desejo que a terra seja verde novamente
Eu gostaria de ter uma arma em minha mão
Algum dia eu voltarei para o frio

---------

Gostei muito. Ao que tudo indica a música é uma homenagem ao livro "Silent Spring"(Primavera silienciosa) de Rachel Carlson publicado em 1962, ou se inspirou nele. Créditos a banda folk anarquista da cidade Santa Cruz na California: BlackBird Raum.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Tank Girl Anti-Machista


Baseado nos quadrinhos de Jamie Hewlett e Alan Martin em que uma garota punk pilota um tanque de guerra, o filme "Tank Girl" é uma ótima diversão para quem se fartou do machismo. A história se passa em um futuro caótico, 2033, em que uma grande coorporação chamada WP, que logo nos lembra o termo White Power mas na verdade é a "Water Power", domina mais de 90% das reservas de água do mundo. Como se não bastasse, para dominar essa coorporação se militariza. Tank Girl vive livre com sua família roubando água para sobreviver e cultivando uma pequena horta secreta na garagem. A trama começa quando a WP ataca a casa da Tank Girl, mata sua família e sequestra sua filha.

Além da carater anti-machista de algumas cenas, o filme tem algumas características libertárias. No início Tank Girl afirma:
"Os meus amigos e eu não gostamos da WP"
"Sim, nós roubamos água, mas desde que eles"
"não descubram, quem é que liga?"

E isso fica mais implícito quando a Tank Girl e sua amiga Jet Girl se encontram com "Rippers". Os Rippers eram seres misteriosos e temídos, difamados como assassinos cruéis ( será coincidência com a má-fama dos anarquistas? ). Na verdade eram um grupo de homens-cachorros malucos que seguiam as idéias de "Jonny Prophet" que um dia sonhou que tod@s seriam livres sob a chuva que não caia a mais de 11 anos. Além disso, eles se organizavam de modo anti-hierárquico tomando todas as decisões em assembléias e votações coletivas.

Pode ser considerado infantil ou mal feito. Mas valeu ver. Eu gostei. Nunca lí os quadrinhos, mas o filme parece buscar alguma fidelidade já que alguns aparecem entre as cenas.

7 de setembro

Vamos comemorar! Hoje é 7 de setembro:



quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Qual é o seu mundo real?

Tudo é tão fácil. Não é mesmo?

Neste mundo virtual.

É muito fácil.

Você fica aí.

E eu aqui.

Você nem aí.

E eu nem aqui.

Um conforto natural.

Você pode escolher. Não é mesmo?

Seja bem vindo - diz a deliciosa forma de seus sonhos - Esse é um mundo virtual. Aqui tudo é perfeito. Um design arrojado para o seu conforto. Se um dia seus vizinhos lhe incomodaram, lembre-se sempre: aqui só existe você. E quando você se sentir sozinho sinta na verdade que o mundo está ao seu dispor: todo o saber e todo o prazer será obtido. Afinal, tudo pode ser em seu favor invertido: os podres que cultivar omitidos e os benefícios que inventar exibidos. Atraia muitos amigos e muitos amores. Não tema. Quando a sua paciência esgotar ou o seu desejo for contrariado, basta ficar invisível e não responder os recados. Finja que não viu, que não sabe, que não está, adie para depois. Supra a carência em outro perfil ou um site qualquer. Se o caso for grave, vá passear, respire e quando voltar ainda assim estaremos aqui e continuaremos perfeitos. Nosso virus? Não mata! Formata e está novo. Se tiver raiva, cometa um crime, só para variar, se você não contar ninguém vai desconfiar que foi você. Mas? Mas nada! Cale-se! A nós não nos interessa os seus pecados contanto que você goze.

Sinta essa liberdade! Esse poder! É tão real, não é mesmo?

Sim! Tome uma atitude agora! Melhore a sua vida! Acabe com toda a violência! Viva uma vida sem conflitos, uma vida real! Esconda sua vulgaridade em baixo de um tapete, siga a etiqueta, mantenha a linha e seja sociável. Seja controlável e viva confortável. Esse é um mundo virtual, o seu mundo real.

Um universo inteiro criado para você.
Para atender os seus desejos.

domingo, 23 de agosto de 2009

Quinto Encontro de Cultura Ecológica

Escrevo para falar-lhes de um encontro que participo anualmente. Desde o ano 2004 os encontros Culturais Ecológicos, abertos em praça pública, promovem a cultura de paz e a harmonia com o mundo natural (do qual as pessoas fazem parte e dependem).


Nas edições realizadas, a programação buscou evidenciar uma interdisciplinariedade real que foi abandonada nos modos de vida chamados modernos, e isso contribuiu com a ilusão de que as pessoas estão fora da natureza.

O pensar ecológico atravessa barreiras nacionais, étnicas, sexuais, classistas, etárias, religiosas, afinal, é um assunto que diz respeito a todos. E a visão de ecologia proposta no encontro é ampla o suficiente para compreender que política, saúde, economia, educação, espiritualidade, agricultura e meio ambiente são conectados. Não há ecologia apenas para os bichos, não há saúde apenas para as pessoas. Assim como não há política apenas para os políticos nem economia apenas aos capitalistas. Os desafios estão interligados e a mudança é de paradigmas.

Essa visão ecológica profunda penetra em todos os campos da ação humana e provoca transformações culturais e no rumo de desenvolvimento das sociedades:

Na política pela evolução ética, descentralização de poderes, participação popular;
Na economia pela solidarização, produção e consumo local, grupos de consumo, cooperativismo;
Na educação com a ecopedagogia e ecoalfabetização;
Nas organizações sociais com a auto­gestão, o associativismo, os movimentos sociais, as eco­vilas;
Na saúde com as diversas terapias naturais, medicina holística, nutrição vital;
Na agricultura com a agroecologia, permacultura e outras vertentes unificadoras e ecologizadas;

*Participe ou saiba mais em: www.burucutu.blogspot.com
**Texto editado da carta-convite elaborada pelo Burucutu.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Vivir la Utopia



Olá! Com grande orgulho terminei de traduzir a legenda do documentário produzido pela TVE "Vivir la utopia" Viver a Utopia (Living utopia) em 1997. Além de contar a história da revolução espanhola protagonizada pelos anarquistas apartir de julho de 1936 na Espanha o filme aborta principalmente os temas: Anarquismo, Autogestão, Feminismo, Educação, Comunismo e Facismo.

Para quem quiser é possível baixar a legenda no OpenSubtitles.
Se os acentos não ficarem corretos baixem a segunda versão: OpenSubtitlesv2
E também pode ser visto no Youtube.
O vídeo pode ser baixado em torrent pelo PirateBay.
Ou pelo BtMon
*É um arquivo de 526 ou 527 Megas

Convido @s companheir@s interessad@s para organizarmos exibições / discussões sobre esse filme e sobre o anarquismo.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Pardais sejamos todos!


Vida longa a criatividade, originalidade e atitude do sr. Felício que fez e faz da vida sua própria revolução:

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Revolução Cotidiana

Viva o Aqui e o agora..

Não há dilema existencial para os que vivem o aqui e o agora. A tendência de nos evadirmos do espaço e do tempo em que estamos inseridos é enorme. Somos deste mundo mas acabamos morando em um castelo imaginário – que nem nos é prazeroso – construído pelas nossas frustrações e pela incapacidade de mudar a rota de nossas vidas.

A saída é vivermos o presente com as coisas que nos dão prazer. Mas temos medo, os riscos são grandes e nossa incompetência para aventura nos paralisa. Entre o risco no prazer e a certeza no sofrer, acabamos sendo socialmente empurrados para a última opção.

A partir do momento que rompemos a casca social e nossa espontaneidade renasce começamos a nos aproximar do aqui e o agora.

A opção política que uma pessoa deve fazer é viver o aqui e o agora de maneira crítica, criativa, assumindo suas limitações, mas mergulhando na aventura criativa da superação, da transformação do que é socialmente dado como obstáculo à espontaneidade, à liberdade, nossa e dos outros. Assim resgatamos nossa originalidade, nossa criatividade.

Começamos buscando um novo conceito de política e liberdade e acabamos encontrando um novo conceito de revolução. A revolução para nós se transformou em algo que ocorre o dia inteiro e deve ser total. A partir do momento que desejo transformar a sociedade ela começa. Fazer revolução e criar a sociedade dos nossos sonhos é algo simultâneo e não como se pensava convencionalmente: primeiro a revolução, depois a transformação social.

* Trechos do livro: "Paixão e Utopia" - Escrito por Roberto Freire

Trabalho Assalariado


"- O sistema assalariado é uma nova forma de escravidão - continuou ele com a voz ainda mais vibrante. - A mina deve ser do mineiro, como o mar é do pescador, como a terra é do camponês. Compreendam isso de uma vez por tôdas: a mina é de vocês, que há um século a vêm pagando com tanto sangue e tanta miséria!"*
* Germinal - Emile Zola - 1ª Edição - Ed. Abril, Rio de Janeiro - 1972. Pág. 61

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Flores


Ela disse, com todas as letras, não me amar e não querer me ver nunca mais.

Mas estou certo de que ao menor sinal ela virá correndo e o nosso amor se espalhará novamente, como o ar, preenchendo os espaços vazios com alegria e esperança. E sei disso não por ter certeza, mas somente porque as fantásticas engrenagens em minha cabeça me convenceram. Movidas a corações partidos ou ilusões executam uma dança frenética e me excitam uma dormência sutil em que os sonhos já não são mais invisíveis, se confundem e se sobrepõe à realidade. Assim desejamos. E sem perceber damos forma e passamos a acreditar em fantasias como se elas fossem tão naturais quanto o verde que brota da terra e a vida que espalha sobre ela.

Din-don.. Feliz, já superava a vergonha de ter comprado rosas, rosas! De tão ridículo que fui até as senhoras da praça Rocha riam de mim enquanto a névoa me envolvia e eu caminhava delirante ao apartamento dela. É. Ela é mesmo tão bela, é a poesia que restou em minha vida, se ela abre essa porta, ah se ela abre, já sei o que direi, conquisto-a novamente e não a deixarei escapar jamais. Acredite, eu tenho repulsa a idéia de prendê-la, escolheria perdê-la, e por isso media os verbos e lhe falava com uma ternura comedida. Aprendí que o amor é livre, que deve ser mútuo, desejado e conquistado por ambos sempre. Era esse o meu ideal, minha revolução cotidiana. Mas entender isso não significa que em meu âmago eu não quisesse amarrá-la. Ah como eu quero, não com correntes, com chantagens ou pressões de ordem psicológica. Quero atar os nós com os nossos olhos, com abraços ou até o canto do silêncio, com murmúrios, beijos, palavras soltas e todo esse conjunto de signos que parece sem sentido para os os miseráveis, os burgueses, os que nunca amaram alguém, os casados por interesse, comodismo ou convenção social, os que ainda não respiraram um amor livre.

Ela não respondeu o meu primeiro toque. Será que eu aperto novamente ou aguardo alguns minutos? Eu espero. Din-Don. Porcaria, eu repetí e agora, e se ela estiver ocupada? Serei paciente, ela está ocupada. Eu sei que fui bruto poderia ter ao menos avisado antes de usar essa campainha estúpida da forma que usei. Calma, ela está ocupada e irá abir apressada assim que me imaginar à porta. De repente brota um riso espontâneo em minha face: é tão bom estar aqui. Da última vez passamos 3 horas à beira do lago sem nada fazer, absolutamente. E é como se o conceito da perfeição que cresce naquilo que se faz fosse esmagado sem esforços pois o amor ali nada exigia, era tudo tão simples, tão belo e precioso.

Ela ainda não abriu, ela deve estar dormindo, eu vou tocar novamente, é isso, eu sei que é. Din-Don-Din-Don. Quem sabe assim ela acorda. Olho em volta, será que os vizinhos já notaram que estou aqui novamente? Será que eles fazem chacota de mim? E você está rindo do que? Eu agrido meu calcanhar direito contra o chão sem levantar a ponta do pé quinze vezes antes de decidir que vou embora. Meu corpo vai e volta como se um elástico enfraquecido e velho me prendesse às minhas aspirações. Bem, pode ser um sono profundo e os vizinhos que se danem, eu não vim aqui atoa. Faço o agudo alarme soar prolongado por mais quatro vezes. Se ela não despertar agora eu parto. É claro que eu vou, tenho muito mais coisas a fazer. Bom. Talvez ela não esteja em casa. Ela disse que estaria. São os últimos dias em que a Lu ficará na cidade. A Lú é sua melhor amiga. Podem ter saído isso é bem provável. Depois de tudo que me disse achei que ela iria esperar ansiosa a minha visita. Talvez ela esteja aí, bem aí atrás dessa porta e tenha até me observado aqui pelo olho mágico, quem sabe optou por testar meus sentimentos mais uma vez, como um gato que brinca alegre com sua presa agonizante até a morte. Vai ver me leu mais de uma vez e voltou para conferir se ainda estou aqui e qual é o conteúdo de meus olhos. Discretamente eu aceno com um sorriso para a porta, mostro as flores, a madeira permanece marrom inerte e sem cor diante de mim. Já basta. Isso é tudo eu não tolero mais humilhações. Prometo a mim mesmo que jamais ponho os pés em seu capacho. Jogo as flores pela janela, passo a mão sobre a roupa de cima para baixo rapidamente como se pudesse limpá-la, ela está limpa. Respiro fundo. O elevador sobe. Vazio. O elevador desce. Me sento. Merda! Eu devia ter guardado as flores.. Tudo prossegue e a noite cai anunciando que um novo dia, um novo amor quem sabe, terá que nascer.

domingo, 2 de agosto de 2009

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Tarifa do busão irá para R$2,10

A partir de domingo!

Apesar de todos os escândalos envolvendo a Grande Londrina, o dono da Grande Londrina(até deu no fantástico), o sindicato e a prefeitura. Apesar de que desde 2003, a cada aumento, irregularidades são constantemente apontadas nas planilhas da Grande Londrina a ponto de que em 2005 até o ministério público exigiu a redução da tarifa para R$1,30. O prefeito alega motivos técnicos e ausência de reajustes anteriores.

E o mensalinho onde ficou? e o financiamento das campanhas políticas como ficou? E as suspeitas levantadas nas planilhas da grande londrina? E o fato do ministério público ter exigido a redução da tarifa e isso nunca ter sido cumprido? Para essas questões não existe técnica? Não existem anos anteriores? Memória curta ou seletiva?

Para quem acha que é um reajuste pequeno vale lembrar que em anos anteriores a tarifa subiu aos poucos. Se permitimos esse aumento logo exigiram mais e mais. Basta!

Vejam mais:

RPC
http://passelivrelondrina.blogspot.com/

A vida de Galileu

Paulo Autran (1922-2007)
no papel de Galileu, 1989.

"Maldito é o país que precisa de heróis!"


Lí recentemente e gostei muito dessa peça escrita por Bertold Brecht durante o exílio na Dinamarca(1937)(fugindo do nazismo alemão). Bernad Dort explica que “Galileu foi escrita, originalmente, para servir de exemplo e de conselho aos sábios alemães tentados a abdicar de seu saber nas mãos dos chefes nazistas”. Dessa forma ele retoma o passado para contextualizar um problema presente.

Na história, Galileu morava na Itália, em Pádua, onde lhe davam liberdade para pesquisas mas baixos salários e por isso é obrigado a dar aulas particulares. Ao anunciar a suposta invenção de uma luneta, até então só conhecida na Holanda, ganha prestígio e muda-se para florença onde é recebido com honras.

Com esse instrumento obtém indícios que provam o sistema de Copérnico: a terra gira em torno do sol. Por contradizer a igreja Católica, que defendia a terra como centro do universo, Galileu é obrigado a abandonar essa pesquisa. No texto fica claro que a igreja e os senhores feudais temiam que a negação de dogmas poderia incitar dúvidas e colocar em cheque a fé cristã e a ordem social. Quando assume um novo Papa, que era matemático, Galileu retoma os estudos e começa a publicá-los em italiano ( não mais em latim, em uma crítica ao obscurantismo da igreja que mesmo nas regiões mais pobres da itália proclamava missas em latim ). Em pouco tempo suas teorias geram grande polêmica.

(se não quer ver o final da história ignore o parágrafo abaixo :P)
Mesmo com o apoio de comerciantes do norte da itália Galileu é agora obrigado a negar todas as suas descobertas ao ver os instrumentos de tortura da “santa inquisição”. Calaram o cientista mas não suas idéias. Na prisão, quase cego, Galileu segue obstinado e termina de escrever o livro “Discorsi” que é levado em segredo por um de seus discípulos, Andreas, para fora da itália.

Vale a pena ler, alguns trechos são verdadeiros estandartes do pensamento Brechiano. Galileu não é idealizado e a estrutura da obra, o final em aberto e as ações desencadeadas pelas relações humanas, são indícios que nos ajudam a entender o que foi o seu teatro épico(em crítica ao expressionista).

“Quem, hoje em dia, quiser combater a mentira e a ignorância e escrever a verdade tem de vencer, pelo menos, 5 obstáculos. Tem de ter coragem de escrever verdade, muito embora por toda a parte ela seja encoberta; tem de ter a arte de a tornar manejável como uma arma; tem de ter a capacidade para ajuizar, para selecionar aqueles em cujas mãos ela será eficaz; tem de ter o engenho de a difundir entre estes.” - B. Brecht

quinta-feira, 16 de julho de 2009

terça-feira, 14 de julho de 2009

O óbvio

Não se contente
com o óbvio


----

Foi só pra avisar que estou voltando a ativa no blog. : )

segunda-feira, 22 de junho de 2009

107,5 BI para a Agropecuária


Enquanto em alguns lugares do mundo já há preocupação com o consumo excessivo de carne, como em a cidade Belga Ghent que lançou uma campanha para incentivar a população a não comer carne pelo menos um dia por semana. No Brasil a agropecuária, apesar do fechamento de frigoríficos esse ano, continua poderosíssima. De acordo com o presidente, Lula, para os anos de 2009/2010 os produtores poderão contar com um crédito de 107,50 BILHÕES. Só no Paraná serão 21 Bilhões. O que eu não entendí é que um dos focos da PAP ( plano agrícola e pecuário ) seria a "sustentabilidade ambiental", mas a contradição é que produção de carne, por si só, não é ambientalmente sustentável.


Notícia disponível no site da folha de Londrina:
http://www.bonde.com.br/folhadelondrina/?id_folha=2-1--6927-20090622

----------------------

Documentário "A carne é fraca":
http://www.youtube.com/watch?v=EghRqeZA-TU

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Qual a lógica?

Já é sabido pelos leitores deste blog que o atual prefeito de Londrina, Barbosa Netto, não vê a hora de reajustar a tarifa do ônibus. Seu principal argumento é que há 2 anos e meio o valor não é alterado, já o óleo diesel subiu.

Essa é a lógica?
Vamos seguí-la:

O que fazer com o salários dos servidores públicos municipais que tem uma defasagem salarial de 8 anos, calculado pelo sindicato municipal em cerca de 40%? E se essa é a lógica, porque não vamos adiante? O que fazer com o salário dos servidores estaduais e federais? O que fazer com o meu salário? Vamos reajustar?

Não, é claro que não irão reajustar. Afinal essa lógica do prefeito não tem lógica. Ela não é a lógica tradicional estudada e explicada na matemática, economia ou filosofia.. É uma lógica muito mais complexa e obscura que, no Brasil, faz muito sucesso entre um pequeno grupo de privilegiados engravatados.

Essa é a lógica da política no capitalismo.

Agradeço ao João que comentou no portal bonde e me inspirou.

------
Contra essa lógica, convido a todos para participar:

Comitê de Luta Contra o Aumento Tarifa
Reunião do Comitê pelo Passe Livre Redução da Tarifa e Estatização do transporte Coletivo

Sábado - 20 de junho - 15h
no DCE - UEL - Centro

Pauta: reorganização do comitê e luta contra o aumento da tarifa

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Nazismo na universidade Estadual de Londrina?

Ontem, ao me dirigir até a biblioteca setorial, próxima ao CECA na UEL, ví com duas cartas bem curiosas publicadas no mural, uma ao lado da outra. A primeira denunciava a movimentação de um grupo nazista no curso de História da Universidade Estadual de Londrina, seriam: "irresponsáveis com aquilo que carregam no peito". A segunda, respondia a primeira e ampliava a crítica dela ao afirmar que não basta apenas refutar o nazismo, mas é preciso também criticar outras formas de manifestações políticas totalitárias.

Até agora não ví o tal grupo e embora hoje seja um erro sensacionalizar a real influência nazista no estado do Paraná, o equívoco maior seria ignorar essa presença. Dois fatos recentes me fizeram pensar: No dia 02 de maio um estudante teria sido preso em Londrina por difundir o nazismo; nessa mesma data, em Curitiba, a polícia prendeu seis suspeitos de matar um casal nazista em uma festa Nazi em Curitiba, o motivo seria disputa de poder interno no grupo. Uma televisão e alguns jornais chegaram a afirmar que esse grupo tinha planos práticos para se infiltrar na polícia e política paranaense como forma de ampliar seu poder. E agora, mais essa polêmica na Universidade Estadual de Londrina?

Vejam as cartas:

Primeira carta:
Assinada por: "um ahoramágico."

Segunda Carta:
Assinada por: R. B.

Penso que esses são os indícios suficientes para que o nazismo no Paraná seja estudado com atenção. Esse estudo poderia nos ajudar a compreender melhor como esses indivíduos e grupos tem se difundido e saber o tamanho real de suas influências. No ano passado a AIT (organização anarcosindicalista internacional) alertava para o crescimento do nazismo e facismo ao redor do mundo e sugeria a criação de pólos de resistência e conscientização. Enquanto na Europa a constituição de grupos anti-nazistas/anti-facistas é comum, aqui, essa tarefa ainda fica relegada a indivíduos geralmente isolados. Será essa a melhor estratégia para o momento histórico que vivemos? E o que acharam do fato e das cartas?

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Barbosa: o prefeito do povo?

Olha a faca irmão:Prefeito vai aumentar a tarifa do busão

Após uma eleição controversa, Barbosa Netto foi eleito prefeito de Londrina com 135.507 votos, ou 54,12% dos votos válidos. Além do grande número de votos foi importante para sua vitória o apoio aceito e comemorado de Antonio Belinati ( ex-prefeito que teve seu mandato caçado e sua prestação de contas rejeitada pelo Tribunal de Contas ).

Agora que tomou posse, em algumas matérias, aparentemente "plantadas" nos jornais da cidade, Barbosa demonstra que sua prioridade é aumentar a tarifa de ônibus. Defende um reajuste imediato, seus argumentos principais são que há 2 anos e meio o valor da passagem é R$2,00 e que, se o óleo diesel é caro, a tarifa deve ser cara e quem deve pagar a conta é o trabalhador. Ele ameaça dizendo que, se não houver aumento, a qualidade do serviço irá piorar.

Mas se esquece que em 2004 o Ministério Público provou que a tarifa de ônibus na cidade já era abusiva e que na época o valor justo seria R$1,35. Será que o óleo diesel subiu tanto assim?

A pressa em aprovar o aumento, e as suspeitas de "mensalinho" levantadas em 2008 pelo vereador Orlando Bonilha, fazem-nos pensar que esse foi um compromisso de campanha acordado préviamente pelo candidato. Será?

----------

*Bonilha denunciou um possível "mensalinho" ( acordão que vigoraria há algumas legislaturas - ele apontou pelo ou menos dez vereadores que receberiam a mesada de R$ 1,6 mil da companhia de transporte coletivo). O então presidente da companhia, Gildalmo Mendonça, chegou a ser preso mas negou o pagamento e foi liberado com um habeas corpus.



Veja mais em: BondeNews
.

domingo, 12 de abril de 2009

Hard Money


Com certeza esse é o show mais divertido que rola em Londrina. Hard Money é uma banda (cover dos Ramones) que existe desde 1991. Alguns integrantes tem ligação com o surgimento do Punk, anarcopunk, em Londrina. O batera, Cientista, tocou na banda "desordem e regresso". Por esse motivo o show sempre atrai uma galera que já curtia um som desde as antigas. Para quem aprecia o bom e velho punk rock, vale muito a pena ir. Deixo aqui a minha dica para o sábado dia 18/04/2009 no Strettos Pub bar.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Seja mais ANIMAL!

"ANIMAL NÃO PROMOVE GUERRAS,
NÃO CORTA ARVORES
NÃO SUJA OS RIOS
NÃO DESPERDIÇA ALIMENTOS
NÃO COLOCA FOGO NAS MATAS
NÃO USA DROGAS,
NESTES TERMOS, SEJA MAIS ANIMAL"


( um tal de "Salão Pet Banho & Tosa" me adicionou no orkut e eles usam essa descrição para o perfil, rs.. da hora né? )
.

terça-feira, 31 de março de 2009

Blog conquistador?



A internet é engraçada. Esses dias recebí esse selo de presente da Anna World. É o primeiro que recebo em nessa vida de blogueiro. E, sou meio "caipira" para isso. Realmente não sei como agir nessa situação. Obrigado mesmo!! a Kenia e a Anna!

As regras de postagem são:
"Exibir a imagem do Selo Vermelho e a regra de postagem no seu blog com o link do(s) blog(s) que você sempre visita e não esquecer de avisar os indicados. Escreva também duas coisas que você sempre faz com frequencia por prazer."

Mas.. regras estão aí para serem transgredidas, rs.....

Eu tenho prazer em:
0. Fazer as coisas com tesão
( até porque alá Roberto Freire: "Sem tesão não há solução" )
1. Estar com os amigos
2. Conhecer pessoas especiais
3. Curtir um Punk Rock tosco e mal tocado ( ahuehuheau )
4. Discutir coisas de modo produtivo
5. Ler
6. Fotografar
7. Atuar de alguma forma nesse mundo estranho com o intuito de melhorá-lo
8. Escrever
9. Pintar camisetas
10. Mimar o meu gato
11. Anular o voto

rs........ é o que veio na cabeça no momento..

Meus indicados?

bom, fico meio constrangido em receber esse selo.. E mais ainda em ter que indicar, por isso indico todos os colegas que coloco aqui do lado nos link´s.. Espero que não fiquem bravas com minha caipirisse selística :p

segunda-feira, 30 de março de 2009

Meu gato, o nego

Meu gato tinha sumido, mas foi encotrado, obrigado a todos!!! Ao segurança do super mufato, a srta. Sandra que o levou aos cuidados de uma pessoa responsável e principalmente a Radha e a Vanessa! que me deram um ultra mega apoio!!!



Eu amo muito esse bichano!

segunda-feira, 23 de março de 2009

Oceanos que se cruzam

Sobre jornlismo e literatura..


Quando se fala em jornalismo e literatura, os primeiros nomes lembrados provém da América do Norte, na década de 1960. Truman Capote, Norman Mailer, Tom Wolf, entre outros. Embora os termos “new journalism”(novo jornalismo) ou “jornalismo literário”, apareçam após esse período, a mistura e experimentação é mais antiga. Ao ler “As vinhas da Ira”, livro publicado em 1939 e escrito por John Steinbeck que o rendeu o prêmio Pulitzer, por exemplo, é impossível deixar de notar que certa documentação histórica, contextual, sobre o momento difícil da crise de 1929 nos Estados Unidos. E, como diria o jornalista Juarez Bahia, o que seria o jornalismo senão apurar, reunir, selecionar e difundir notícias, idéias, acontecimentos e informações gerais com veracidade, exatidão, clareza, de modo a conjugar pensamento e ação?

Ao voltarmos um pouco mais na história, no Brasil, escritores como Euclides da Cunha e Lima Barreto também podem ser considerados como “raízes do estilo”, afirma o jornalista e Mestre em Comunicação e Cultura pela UFRJ, pós-graduado em Jornalismo Contemporâneo, Gerson Dudus.

Afonso Henriques de Lima Barreto, nasceu em 13 de maio de 1881, viveu a maior parte de sua vida em Santos e faleceu em 1922 minado pelo alcoolismo, após sofrer internamentos psiquiátricos. Além de se identificar com os operários e imigrantes, tendo atuado de forma constante na constituição da imprensa proletária no início do século XX, que reivindicava a redução da jornada de trabalho e o fim da carestia de vida em jornais como “A Lanterna”, que se dizia anticlerical ou “A plebe”, anarquista, conseguiu publicar 17 obras. As perseguições de que foi vítima refletiram em boa parte de sua obra desde Triste Fim de Policarpo Quaresma até Clara dos Anjos.

Já Euclides Rodrigues Pimenta da Cunha nasceu em 20 de janeiro de 1866 e em 1909 foi baleado em uma troca de tiros. Após saber que sua esposa, Ana de Assis, o abandonara pelo jovem tenente Dilermando de Assis saiu armado na direção da casa do militar e não voltou. Foi escritor, professor, sociólogo, repórter jornalístico e engenheiro. Tornou-se famoso internacionalmente por sua obra-prima, “Os Sertões”, que retrata a seca no nordeste, o homem sertanejo e a guerra dos Canudos. Seus romances, de temática social, destacaram o subúrbio, uma realidade marginal e esquecida, os pobres, os negros, as mulheres e os imigrantes e retirantes.

Hans Magnus Enzensberguer, poeta, romancista, ensaísta, editor de revistas e livros, é outro intelectual múltiplo e produtivo que também intriga. Quando “O curto verão da anarquia” foi publicado em 1972 não faltaram críticas de que se tratava de uma mera compilação de material documentado sobre o anarquista espanhol Buenaventura Durruti, que se tornou um herói popular durante a revolução espanhola. A verdade é que ele transgrediu padrões ao mesclar literatura, jornalismo e história. E deixou claro que não se tratava de uma obra científica. Explicou em seu livro que “o romance como colagem apóia-se em reportagens, discursos, entrevistas e proclamações”, mas, “o recontador não é imparcial, intervém na narração” e “sua liberdade é limitada”, seu texto “passou por outras mãos e mostra as marcas de seu uso”.

A verdade é que, como afirma a estudiosa e jornalista Cremilda Medina, situam-se na literatura as “musas do jornalista”. E os dois campos estão eternamente em contato, embora a imprensa diária esteja pressionada pelo “dead line”, a hora limite para fechamento do jornal, e o jornalismo literário esteja mais livre para trabalhar a linguagem, ambos se comunicam e trocam influências.

Referências:
BAHIA, Juarez. Jornal, História e Técnica: História da Imprensa Brasileira. São Paulo: Ática, 1990. Págs. 150 a 153.
BOTELHO, Danilo. Floreal e o Jornalismo no Tempo de Lima Barreto. Acesso em: 10/11/2008. Disponível em:
Dudus, Geron. Razão & Sensibilidade: Experiência em Redação Jornalística. Acesso em: 10/11/2008. Disponível em:
Acedêmia Brasileira de Letras. Site oficial sobre Euclides da Cunha. Acesso em: 10/11/2008. Disponível em:
Enzensberger, Hans Magnus. O Curto Verão da Anarquia. São Paulo: Cia das Letras, 1987.
MEDINA, Cremilda Celeste de Araújo. Entrevista, o diálogo possível. São Paulo: Ática, 1986.
SILVA, Jomar R., MORAIS, Maria A. C. Perspectivas para a educação da mulher em Lima Barreto. IV Congresso Brasileiro de História da Educação. Goiânia: 15 jul. 2006.
SODRÉ, N. W. História da Imprensa no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1966.

-------------

Trabalho que apresentei ano passado (2008) na disciplina de Técnicas do Jornalismo Impresso. Grande abraço para a profa querida Maria Helena!

domingo, 15 de março de 2009

O Inimigo do Rei


Concluí hoje a leitura do: "O inimigo do Rei: Imprimindo utopias anarquistas". Organizado por Carlos Baqueiro e Eliene Nunes, o livro tem a intenção de recuperar textos que foram publicados em várias edições do jornal e organizá-los em temas. Dessa forma, aborda a situação política do país, o intelectualismo, sexismo, racismo, Lula e o PT, ecologia, comunismo, autoritarismo, etc... Além de algumas avaliações recentes sobre o jornal feitas por pesquisadores.

Para quem não conhece, o "O inimigo do Rei" começou a ser publicado em outubro de 1977, em Salvador - Bahia, e se diferenciou de outros jornais alternativos por se caracterizar pela ausência de censura em sua redação, pela predominância anarquista, por ser organizado de modo auto-gerido e por levantar assuntos polêmicos como o uso da maconha e o homosexualismo. Como diria Ricardo Liper o inimigo teve "ousadia em dizer coisas que ninguém dizia". Essa rebeldia pura e simples é que torna a leitura muito gostosa. O inimigo fez história. A leitura do livro foi um exercício de resgate e aprendizagem muito bacana.

-------------

O agradecimento especial dessa vez vai à Carlos Baqueiro pela cordialidade e por ter me enviado ( vendido ) o livro. Um grande abraço! o/ \o!

-------------

Saibam mais:

O Inimigo do Rei - Wikipedia
Blog O Inimigo do Rei

Vídeos no Youtube:
O Inimigo do rei parte 1
O Inimigo do rei parte 2

Visitem também o atual blog do C. Baqueiro: Mídia Rebelde Plus
.